terça-feira, 14 de abril de 2009

SEIS MESES LONGE DE CASA

O rótulo da cerveja Brahma que está da minha carteira (guardei de recordação) com uma data apontada no verso, indica-me que já se passam mais de seis meses sem por os pés no saudoso Rio-Brasília. A última garrafinha de cerveja que bebi por lá foi junto com meu amigo e também órfão do bar, Edu Goldenberg, que eternizou o momento aqui, no seu Buteco do Edu.

Muitos diziam que não iríamos conseguir deixar o botequim, chegaram até a apostar (mas não sei se pagaram a mesma), e entraram todos pelo cano. Depois da apunhalada nas costas que o Joaquim, dono do meu ex-preferido boteco, nos deu, não tive mais motivos para passar por ali. Minha tia que mora ao lado do extinto bar, coitada, deve ter recebido minha visita umas duas vezes neste meio ano que se passou.
No começo foi difícil, me sentia sem rumo por ter meu cotidiano assassinado de forma impetuosa, mas agradeço por morar na Tijuca. Boteco é o que não falta. Claro que sempre que passo por ali me dá aquele friozinho na barriga, uma pontinha de saudade, mas tudo isso passa rapidamente quando dou de cara com a bosta que o Joaca inventou. Um coisa que está muito, mas muito longe do que era o Rio-Brasília.

Aos poucos fomos nos aconchegando a outros belos bares da redondeza, e acho que estamos felizes. Não temos um bar somente, como era antes, mas posso afirmar que já somos muito bem-vindos, e nos sentimos em casa, em pelo menos três buracos etílico-tijucanos. E são nestes buracos, que para nossa surpresa, ou não, encontramos os ex-fregueses do falecido canto da Almirante Gavião.

É uma vida nova, e feliz, na Tijuca.

4 comentários:

implacavel disse...

Eu entendo o que vc está passando ou passou...tb já fiquei orfâo de um bar aqui onde eu moro, realmente é muito triste!!!

Kadu disse...

O bar nào poderia ter ficado pior, parece padaria, casa de suco, tudo menos um bar.
Mas a região é florida de boas opções.

Abção ...

Arthur Tirone disse...

Você, que dispõe daquele portento na Pardal Mallet, ao lado da tua casa, não tem que reclamar de nada!

E o maracujá não-coado, hein Simão? Putaqueospariu!

Diego Moreira disse...

Putaqueospariu!

Assino embaixo. Abraço!